O Orquestra Plástica do NEOJIBA: Formação Musical para a Sustentabilidade – Ano 3 é a continuação de um projeto de desenvolvimento e difusão de uma tecnologia social, através da ação inovadora de construção de instrumentos sinfônicos de cordas com canos de PVC. A iniciativa capacita jovens de Salvador e do interior da Bahia no ofício da lutheria e articula, por meio da música, os campos da sustentabilidade e inclusão socioprodutiva.

A partir da ideia inovadora do músico Natan Paes, que construiu, ainda sem conhecimentos de lutheria, instrumentos sinfônicos de cordas (violinos e violas) feitos com canos de PVC e madeira, no município de Angical, localizado no extremo oeste baiano a 840 km de Salvador, o NEOJIBA (Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia) criou o projeto Orquestra Plástica. Com o  apoio de uma equipe formada pelos luthiers Andre-Marc Huwyler, David Matos e Alan Jonas e por Natan, a iniciativa abriu as portas para uma tecnologia de produção de diversos instrumentos sinfônicos de baixo custo e muito similares aos tradicionais.

A Braskem, empresa baiana líder na produção de resinas termoplásticas, comprometida com os conceitos de inovação, transformação social e sustentabilidade, resolveu investir, através do Fazcultura, na realização das etapas do projeto composta por ações de formação, inclusão socioprodutiva, pesquisa, difusão dessa tecnologia e fabricação de instrumentos.

Em 2017-2018, o projeto Orquestra Plástica do NEOJIBA  investe significativamente na formação de jovens aprendizes no ofício da lutheria de plástico e aumenta a fabricação de  instrumentos fabricados, que vão compor os 10 kits de iniciação musical para doação a projetos musicais parceiros do NEOJIBA no interior do Estado.  A iniciativa prevê ainda a realização de 10 Concertos Didáticos, em sete municípios da Bahia. 

  • YouTube - White Circle
  • Twitter - White Circle
  • Facebook - White Circle